Janeiro Roxo: UBS Emerson Caselli realiza dia D contra a Hanseníase

    0

    Nesta quarta-feira (15), a Unidade Básica de Saúde Emerson Caselli, bairro Liberdade, promoveu dia D do Janeiro Roxo, campanha de prevenção e combate a Hanseníase.  Raiza Moreno, 25 anos, que levou os filhos para vacinar,  participou do evento. “Achei muito boa a iniciativa porque traz muitas informações sobre a hanseníase. É importante para todo mundo ficar sabendo que a Hanseníase é uma doença que tem cura. Agora eu já sei passar informação se me deparar com um caso suspeito” ressaltou a dona de casa.

    Já o seu José Dias, 70 anos, fez questão de estar presente no evento, que reuniu cerca de 50 pessoas, no auditório da UBS. O agricultor mora sozinho e já enfrentou a doença. Ele conta que há um ano desconfiou de manchas nas costas e ao procurar o postinho confirmou o diagnóstico de Hanseníase. O tratamento foi feito na própria UBS da Liberdade e foi concluído em dezembro passado. “Agora eu esperando só a avaliação final. Tomei a última dose no mês passado. Fiz todo o tratamento aqui, consultas, medicação. E fui bem atendido”, afirmou.

    Raiza Moreno

    seu José Dias

     

     

     

     

     

     

    A Hanseníase é causada pelo Mycobacterium leprae, uma bactéria que acomete a pele e os nervos periféricos. Durante a palestra, Rhaone Caldas, clínico geral da UBS, explicou que a pessoa infectada expele bacilos (bactérias) através do sistema respiratório quando fala, tosse ou espirra, por meio da saliva e secreções nasais. A contaminação somente acontece no contato físico prolongado.

    O médico ressalta ainda que a prevenção é a melhor maneira de combater a doença, por isso, é importante se atentar aos hábitos de higiene tanto do ambiente em que se vive, quanto o pessoal. Além disso, é indispensável buscar atendimento em caso de dormência ou manchas na pele. “A hanseníase é uma doença que tem cura, uma vez que a pessoa inicia o tratamento, tem maior chance de cura e evita transmissão a outras pessoas”, resume o clínico geral.

    Atualmente a Secretaria Municipal de Saúde  registra 200 casos de pessoas infectadas com a hanseníase, em tratamento. Desses, em média 40 casos são tratados no bairro Liberdade. A enfermeira Luciana de Oliveira explica que o tratamento pode variar de 6 a 12 meses, dependendo do estágio da doença. “Aqui no postinho é ofertado todo o tratamento, o essencial são as doses,  aplicadas aqui mesmo. Os pacientes são acompanhados mensalmente e quando não vêm nós ligamos para saber o que aconteceu”, enfatizou.

    Veja quais UBS já receberam e quais ainda vão receber o dia D.

    Unidade de SaúdeData
    Centro de Especialidades Integradas07/01/2020
    Pedro Cavalcante07/01/2020
    Laranjeiras07/01/2020
    Emerson Casseli08/01/2020
    Jaime Pinto08/01/2020
    Demósthenes Azevedo09/01/2020
    João Batista Bezerra09/01/2020
    Amadeu Vivacqua10/01/2020
    Maria Bico Doce10/01/2020
    Carlos Barreto13/01/2020
    Enfermeira Zezinha13/01/2020
    Hiroshi Matsuda14/01/2020
    Mariana Moraes14/01/2020
    Brejo do Meio15/01/2020
    Vila Sororó15/01/2020
    Vila União16/01/2020
    Vila Itainópolis16/01/2020
    Capistrano de Abreu17/01/2020
    Vila Santa Fé17/01/2020

    Texto: Leydiane Silva
    Fotos: Farias Jr

    No comments

    Acessibilidade