CEI: Campanha Janeiro Roxo inicia com palestras e capacitação dos profissionais de saúde

    0

    Foi realizado nessa terça-feira (7), o lançamento da Campanha Janeiro Roxo, mês de combate e prevenção a hanseníase, do Centro de Especialidades Integradas (CEI). Na programação foi apresentada uma palestra aberta ao público sobre a doença, formas de contágio e tratamento.

    A ação continua durante quarta e quinta (8 e 9), com a visita de 40 médicos e 50 enfermeiros da rede Atenção Básica que receberão uma capacitação para melhorar o atendimento ao pacientes nos postos de saúde. “Dividimos em dois dias para que as UBS não fiquem sem profissionais durante a capacitação. Esses profissionais irão levar esse aprendizado para as Unidades para que todos aprendam a lidar de forma mais minuciosa com a doença”, explica Jalília Correa, coordenadora da Educação Continuada e Escola da Saúde do CEI.

    Uma das palestrantes é a dermatologista do CEI, Ruth Mayanna Alexandre. Ela ressalta que a medida visa também melhorar a busca pelos pacientes portadores da doença. “Aqui no CEI nós recebemos apenas os casos que têm alguma complicação no tratamento deles ou alguma complicação com a medicação. Os casos que têm reações mais graves, a maioria dos pacientes é atendida e tratada diretamente nas Unidades Básicas de Saúde (UBS). A identificação da doença também depende deles”, acrescenta.

    Outras ações

    A Secretaria Municipal de Saúde também realiza, ao longo do mês, ações de combate a hanseníase em todas as UBS, que terão dias D com ações específicas de cunho informativo. Atualmente cerca de 200 pacientes fazem o tratamento da doença na rede municipal de saúde. A medicação está disponível em todas as UBS.

    Em setembro do ano passado, a Prefeitura de Marabá passou a distribuir uma cesta básica mensal para cada paciente em tratamento de hanseníase no município. Em acordo com o Projeto de Lei 40/19, assinado pelo Prefeito Tião Miranda, em 3 de julho, cada cesta básica tem o valor mensal de R$ 150,00 e é garantido ao paciente enquanto durar o tratamento.

    As ações de tratamento de hanseníase de Marabá foram elogiadas, inclusive pela The Nippon Foundation e Sasakawa Memorial Health Foundation do Japão e seu fundador, o embaixador da Boa Vontade para Eliminação da Hanseníase da Organização Mundial de Saúde (OMS), Yohei Sasakawa, que trabalha há mais de 40 anos visitando locais ao redor do mundo para erradicar a Hanseníase.

    A doença

    A hanseníase é  uma doença infecciosa crônica causada pelo bacilo de Hansen, que afeta principalmente nervos periféricos da pele. Como sintomas iniciais, surgem manchas vermelhas cutâneas, cujas partes perdem a sensibilidade. É uma doença que, embora seja tratada, ainda prova muito estigma e preconceito na sociedade.

    De acordo com relatório da OMS de 2017, o Brasil é o país que apresenta o segundo maior número de casos novos no mundo, sendo responsável por 12,67% dos novos portadores da doença no planeta. No Pará foram registrados 2.598 ocorrências.

    Texto: Osvaldo Henriques
    Fotos: Paulo Sérgio dos Santos 

    No comments

    Acessibilidade