Saúde: Crismu realiza mutirão para implantação de DIU

0

A meta é implantar cerca de 300 dispositivos de contracepção intrauterino

Natasha Almeida, 29 anos, e o companheiro adiaram a chegada dos filhos até se estabilizarem melhor na vida. Há três anos ela parou de tomar pílula anticoncepcional por causa dos efeitos que causam no corpo e pesquisou outros métodos contraceptivos seguros, até que chegou à conclusão de que o Dispositivo Intrauterino, o DIU, seria a melhor opção para ela. A jovem buscou atendimento na rede municipal de saúde e, na semana passada, conseguiu a implantação do DIU, no Centro de Referência em Saúde da Mulher (Crismu).

“Eu passei por aqui, passei pela enfermeira, fiz exames, ultrassom, passei por palestras e fui selecionada pra fazer agora. O pessoal fala muito que não é bom, aumenta o fluxo da mulher, que sente mais cólica, mas creio que varia de pessoa pra pessoa, então é uma forma da mulher escolher o que ela realmente quer”, afirmou.

De igual forma, a Raísa Vieira, 27 anos, também está entusiasmada com a implantação do DIU. Ela já tem um filho, mas por enquanto, não pensa em aumentar a família. Raísa disse que ficou sabendo da gratuidade do DIU pela rede municipal de saúde, por meio das redes sociais e não perdeu tempo. “Fiquei muito feliz porque hoje em dia pra você colocar um DIU nas clínicas é em torno de 600 a 800 reais, pra gente que é mãe de família, no meu caso que estou desempregada é difícil, então, é uma oportunidade muito grande, fiquei muito feliz pela Prefeitura disponibilizar isso pra gente”, ressaltou a auxiliar administrativa.

Tanto Natasha quanto a Raísa foram atendidas no mutirão do DIU que está sendo realizado desde o mês de agosto, pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS), por meio do Crismu. A meta é implantar cerca de 300 dispositivos de contracepção intrauterino, até semana passada já tinham 110 na lista.

O atendimento para implantação do DIU no Crismu é rápido, não tem fila, bastando que a mulher manifeste interesse. A única exigência é que esteja com o exame PCCU em dia. É feita uma consulta de enfermagem e agendamento ao ginecologista. No entanto, Silvia Menezes, coordenadora da Saúde da Mulher da SMS, lembra que as unidades de saúde são as portas de entrada para o serviço.

“Sugiro as mulheres que ainda não fizeram o preventivo que procure a unidade de saúde mais próxima de sua casa, agende com a enfermeira, e diga que tem interesse em colocar o DIU, lá tem uma equipe do planejamento familiar e eles explicam todo o procedimento de como adquirir a implantação do DIU”, explica Silvia.

É importante ainda que a mulher tenha o cartão do SUS em mãos e um número de telefone para contato. O DIU leva vantagem não só em comparação à laqueadura, mas também em relação aos demais contraceptivos à base de hormônios, em especial para mulheres que têm contraindicação ao uso de estrogênio ou com fatores de risco como hipertensão, diabetes e obesidade.

Segundo a gerente do Crismu, enfermeira Nayane Aguiar, o DIU é um método de longa duração, cerca de 10 anos, implantado gratuitamente na rede municipal de saúde, em qualquer fase do período reprodutivo da mulher, podendo inclusive ser colocado logo após o parto ou no decorrer da menstruação. “Após a implantação do DIU, é preciso que a mulher faça os exames de controle, mas o ginecologista dá o encaminhamento e o município vai disponibilizar os exames para ela. O procedimento é muito rápido”, destacou a gerente.

Texto: Leydiane Silva
Fotos: Paulo Sérgio dos Santos 

Nenhum Comentário

ACESSIBILIDADE
X