Saúde: Julho Verde conscientiza sobre riscos do câncer de cabeça e pescoço

    0

    Julho é também um mês destinado à prevenção de câncer de cabeça e pescoço. É o movimento Julho Verde, que pega carona em campanhas mais populares como Outubro Rosa e Novembro Azul, referente aos cânceres de mama e próstata, respectivamente. Marabá é a única cidade do sudeste do Pará que realiza esse tipo de cirurgia com uma especialista da área, Daniela Pereira Veloso.

    O slogan do Julho Verde deste ano é “O câncer na cara, mas às vezes você não vê”. Um alerta para a prevenção e o diagnóstico precoce, já que segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), estima-se que a cada ano apareçam 43 mil novos casos de câncer de cabeça e pescoço no Brasil. Outro dado preocupante é por ano cerca de 10 mil pessoas morrem em decorrência do câncer de laringe e cavidade oral. É preciso ficar atento aos sinais, esclarece a médica Daniela Veloso. “Ficou rouco, passou de duas semanas, tem que ser investigado. Manchas na pele que mudam de forma e de cor. Machucado na boca, afta que dure mais de duas semanas. Vá ao posto”, frisa.

    A oncologista explica que o câncer de cabeça e pescoço não é um só, mas aborda vários tipos. “São vários canceres, dentre os mais comuns estão o de pele, de boca, o de tireoide e o de garganta. O mais comum costuma ser o câncer de pele, que ocorre principalmente nas áreas mais expostas como o rosto e o pescoço. Outro comum é o de laringe, o quinto tipo de câncer mais comum em homens”, destaca.

    Entre as principais formas de prevenção estão o uso de protetor solar, boa alimentação, evitar enlatados e comidas embutidas, que costumam conter muita nitrosamina – composto químico cancerígeno, produzido a partir de nitritos e aminas – , manter boa higiene oral, usar preservativos nas relações sexuais, inclusive no sexo oral e não fumar.

    Em Marabá, os atendimentos clínicos relacionados são realizados nas segundas e terças-feiras no Centro de Especialidades Integradas (CEI). Já as cirurgias são realizadas nas quartas-feiras no Hospital Municipal de Marabá. “No CEI realizamos a consulta e vemos se tem algo que seja suspeita de câncer. Se existir a suspeita, a gente faz uma biópsia e daí vamos definir qual o melhor tratamento. Se é cirurgia, rádio ou quimioterapia”, enumera, ressaltando a importância de os pacientes serem, antes, direcionados por meio do clínico geral. Normalmente são realizadas até quatro cirurgias por dia, dependendo do tempo de duração de cada uma delas.

    O adolescente David Beckham, de 13 anos, passou por uma cirurgia e aguarda a próxima. “Deu um cisto nele, consultamos e passaram o encaminhamento para fazer a cirurgia. Me ligaram e teve o processo para internação. Fomos ao hospital e fizemos. O cisto voltou e ele vai fazer outra na quarta-feira”, conta a mãe Cleane Santos Sousa.

    O agricultor, Sebastião Paulo Alves Carvalho, que mora a 140 km de Marabá também está realizando exames no CEI. “Pensei que era uma tireoide, aí não era. A doutora pediu novos exames, a gente fez a biopsia duas vezes e agora vamos saber o resultado com fé em Jesus”, detalha.

    Texto: Osvaldo Henriques

    Fotos: Paulo Sérgio dos Santos

    No comments

    Acessibilidade