Saúde: HMM registra mais de 2 mil atendimentos ortopédicos no último bimestre

    0

    Cresce a demanda de ortopedia no Hospital Municipal de Marabá (HMM), considerado hoje uma referência nessa especialidade no sudeste do Estado. Nos últimos dois meses, maio e junho, foram realizados 2.012 atendimentos ortopédicos, sendo 246 cirurgias.

    Atualmente, o HMM trabalha com duas empresas especialistas na área: o Instituto de Ortopedia Sul Paraense e a Ortotrauma se revezam a cada quinze dias, garantindo atendimento de qualidade à população.

    O ortopedista Erinaldo Passos explica que a média diária é de 60 atendimentos, fora as cirurgias que normalmente são seis. Além disso tem as emergências como fraturas expostas, luxações, pioartrite e osteomielites agudas.

    Ortopedista Erinaldo Passos

    Ainda de acordo com o médico, os casos mais comuns são as cirurgias de fraturas de tíbia, fêmur, tornozelo e de pé. Para ele, a alta demanda e o número de atendimentos efetivos aliados à estrutura do HMM é que fazem do hospital uma referência na região. “É uma grande quantidade de procedimentos cirúrgicos e atendimentos de urgência que vem sendo feito. Cresceu exponencialmente. Abrange uma área muito grande e o que chega para gente na emergência, por exemplo, temos que internar e atender”, afirmou o ortopedista.

    Nos últimos dois anos os números comprovam avanços importantes na redução da fila de espera por cirurgias. O número desse tipo de procedimento subiu de 400, em 2017, para 1.500, em 2018. No primeiro quadrimestre foram realizadas 600 cirurgias ortopédicas, 20% a mais do que as realizadas no mesmo período do ano passado.

    Além do tempo de espera, o HMM informa ainda que houve diminuição no tempo de internação, que antes era de doze dias, e agora são cinco. O HMM atende pacientes de vinte e dois municípios da região, de todas as faixas etárias e classes sociais. São pessoas com vários tipos de problemas como traumas de acidente de trânsito, com deformidades, doenças degenerativas e genéticas entre outros.

    Texto: Leydiane Silva

    Fotos: Paulo Sérgio dos Santos

     

    No comments

    Acessibilidade